O ÓBVIO ULULANTE: TORTURAS FORAM POLÍTICA DE ESTADO

“…[a prática de torturas durante a ditadura militar] não foi abuso, não foi excesso: foi uma política de Estado. As dezenas de jovens assassinados no Araguaia foram mortos por uma política pública que dizia que eles não poderiam sair vivos de lá. As casas de tortura [a Casa da Morte de Petrópolis e similares] também operavam por ordem dos ministérios militares.
Se não conseguirmos comprovar que todas as práticas de agentes contra militantes foram políticas de Estado, falharemos em nosso papel.”

(Paulo Sérgio Pinheiro, membro da Comissão da Verdade e ex-secretário nacional de Direitos Humanos — aquele para quem “Brilhante Ustra emporcalhou com o sangue de suas vítimas 
a farda que devera honrar”)
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s