10 ANOS POR GALES!

Hoje me lembrei de um dos meus filmes prediletos: O homem que não vendeu sua alma (d. Fred Zinneman, 1966).

É sobre a dignidade com que o grande pensador Thomas Morus (Paul Scofield) resiste às pressões do rei Henrique VIII (Robert Shaw), obcecado em arrancar-lhe um endosso à sua ruptura com a Igreja Católica e à decisão de tornar-se ele próprio o chefe espiritual dos ingleses. 
Morus era católico fervoroso e preferiu perder tudo (poder, riqueza e a própria vida) do que coonestar as pretensões papais do monarca.
Levado a julgamento, o autor da Utopia, com extrema habilidade, evitou tanto trair suas convicções como fornecer aos acusadores quaisquer justificativas legais para sua condenação.
Até que um crapulazinho ambicioso (John Hurt) dá o falso testemunho que o condena, recebendo como recompensa o cargo de coletor de impostos no território de Gales.
Morus, com infinito desprezo, diz-lhe que nem por riquezas incomensuráveis compensaria ele ter perdido a alma; muito menos “por Gales” (território recém-anexado e tido como insignificante).
Embora me entristeça a condenação do antigo companheiro de jornadas estudantis e tenha considerado sua pena exageradíssima, parece-me que ele se vulnerabilizou  irrefletidamente, colocando o pescoço no laço que a veja e outras escórias sempre mantiveram armado para ele.

Melhor seria se, como Morus, tivesse permanecido fiel aos valores originais. No seu caso, perseverando nas tentativas de mudar o mundo, ao invés de aderir à  realpolitik (começando pelo  crime, muito pior do que qualquer mensalão, de ele ter pessoalmente negociado os termos da capitulação de Lula aos grandes capitalistas em 2002, assumindo o compromisso de que as linhas mestras da política econômica de FHC permaneceriam intocadas sob a Presidência petista).

O governo manietado daí decorrente,  exatamente por não ser revolucionário, nem de longe justificava o preço que ele agora pagará, esses  10 anos por Gales!

Bem diferente do caso de Tiradentes: ninguém tem dúvidas sobre se valeu a pena ele morrer pela independência.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s