COMISSÃO DA VERDADE QUER SABER COMO QUARTÉIS VIRARAM FILIAIS DO INFERNO

Por fora, o DOI-Codi de SP era assim…
A Comissão Nacional da Verdade exige que as Forças Armadas apurem como sete instituições militares foram transformadas em centros de tortura durante a ditadura de 1964/85.
Segundo o coordenador do colegiado, Pedro Dallari, elas têm o “dever de investigar” tal desvio de finalidade: 

Esse desvio não foi algo ocasional, não foi algo eventual. Houve um padrão, foi rotineira e administrativamente organizado. (…) O desvirtuamento do uso, em si, já é um dano ao erário, na medida em que aquele espaço se destina às funções constitucionais das Forças Armadas e não foi utilizado para tal.

Requerimento neste sentido foi entregue nesta 3ª feira (18) ao ministro da Defesa, Celso Amorim. A comissão pede a instalação de sindicância interna e a punição administrativa dos responsáveis. 
Contar pormenorizadamente a história desses horrores é válido -eu diria até obrigatório. Espero que a tal sindicância forneça os elementos necessários. 
…e por dentro, mais ou menos assim.
Já a disposição de punir os coadjuvantes menores do terrorismo de estado chega com décadas de atraso; o momento certo seria 1985, quando o Brasil saiu das trevas.
A metamorfose de algumas dependências de quartéis e distritos policiais em filiais do inferno se deu no final dos anos 60 e início dos ’70. É pra lá de improvável que quem comandou tais adequações ainda se encontre no serviço ativo. 
Ademais, seria patética a punição dos envolvidos na montagem do cenário para as torturas antes da punição dos que as ordenaram e dos que as executaram. Comer pelas bordas não é a solução neste caso. 
E a Casa da Morte de Petrópolis (RJ), onde pelo menos 19 resistentes foram abatidos como animais? Um empresário alemão, provavelmente saudoso do nazismo, cedeu o imóvel. Mas, não seria o caso de investigarem-se também, do ponto de vista administrativo, os detalhes de sua adaptação e manutenção? Como a ordem partiu do então ministro do Exército Orlando Geisel, o principal culpado já é conhecido. 
As sete instituições listadas são aquelas contra as quais foram apresentadas mais queixas pelos torturados: os DOI-Codi’s do Rio de Janeiro, de São Paulo e do Recife; a 1ª Companhia da Polícia do Exército da Vila Militar, no RJ; o quartel do 12º Regimento de Infantaria do Exército, em Belo Horizonte; a base aérea da Ilha das Flores e a base aérea do Galeão, ambas no RJ.
São 19 as execuções confirmadas na Casa da Morte
Certifico e dou fé que as torturas grassavam soltas em três delas:
  • no DOI-Codi do RJ, instalado no quartel da Polícia do Exército da rua Barão de Mesquita, onde tanto me fizeram que passei perto de enfartar aos 19 anos de idade;
  • na PE da Vila Militar, onde me estouraram o tímpano; e
  • no DOI-Codi de SP, que ficava nos fundos de uma delegacia da rua Tutóia (era onde eu pernoitava quando me traziam do RJ para as sessões nas auditorias do Exército, daí ter ouvido os gritos de torturados e conversado com alguns deles na cela, além de o comandante haver, orgulhosamente, me conduzido num tour compulsório pelas instalações, com direito a conhecer e a sentar na chamada cadeira do dragão).
Talvez os pais de Auschwitz e Buchenwald tivessem a mesma devoção por suas crias…
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s