MUNDIAL 2014/13º DIA: URUGUAI CLASSIFICADO, SUÁREZ AMEAÇADO.

Godin, autor do gol que deu o campeonato espanhol ao Atlético de Madri, hoje decidiu de novo.
Pobre Itália! Tinha um selecionado bem promissor, mas não se preparou adequadamente para suportar a canícula do Norte e Nordeste. Com um tiquinho de sorte no sorteio das chaves, provavelmente escaparia do vexame da eliminação precoce, que fez o simpático técnico Cesare Prandelli entregar o cargo.
O craque Pirlo, aos 35 anos, ditou o ritmo contra a Inglaterra, mas não teve forças para conduzir seu selecionado à reação nos dois jogos seguintes, quando foi o adversário quem abriu o placar. E Mario Balotelli volta com o prestígio abalado por haver sido a decepção das duas derrotas fatais, diante da Costa Rica e Uruguai: perdeu um gol incrível contra a primeira e hoje teve de ser substituído no intervalo porque, descontrolado, cavava a própria expulsão.
Foi morno o 1º tempo em Natal, com as duas seleções reservando suas energias para a etapa decisiva. A melhor chance pertenceu ao Uruguai: o veterano Buffon fez duas magníficas defesas consecutivas.  
Não terá sido a 1ª mordida de Suarez, mas…
Uma violenta solada de Marchisio mudou a história da partida. Foi merecidamente expulso no início do 2º tempo e à Itália só restou montar um ferrolho para tentar segurar o empate e classificar-se pelo saldo de gols. Aí o jogo virou uma guerra, com muita pancadaria, catimba o tempo todo e péssima arbitragem.
Mesmo com o juiz mexicano não marcando pênalti claríssimo em Cavani (agarrado e derrubado na área italiana) e Buffon operando um milagre em arremate perfeito de Suárez, o castigo acabou vindo: numa cobrança de escanteio aos 35′, o zagueiro Godin subiu muito e cabeceou de costas (!), para decidir.
De resto, a TV mostrou o que pareceu ser uma cabeçada de Suárez em Chiellini e o revide com uma cotovelada, motivos suficientes para a expulsão de ambos, caso o árbitro tivesse peito para isto. Depois, o zagueiro alegou ter sido mordido, mostrando uma marca no pescoço (que pode ser antiga…). O lance está sob análise da Fifa e talvez redunde num gancho para Suárez.
Particularmente, eu detestarei se, com o Brasil passando pelo Chile e o Uruguai pela Colômbia, pegarmos a celeste desfalcada de Suárez, nas quartas. Ao contrário dos Galvões da vida -os quais, microfone em punho, torcem vergonhosamente por contusões e cartões dos adversários seguintes-, eu sempre preferi que minha seleção detonasse rivais com força máxima. 
Mais ainda no caso dos uruguaios: vai ser outra oportunidade de nos vingarmos do maracanazo, depois de já os termos mandado para casa em 1970, com uma maiúscula vitória por 3×1 na semifinal. O tira-teima perderá a graça se o melhor atacante deles não estiver em campo.
A esta altura, já está garantida a presença nas oitavas de cinco campeões mundiais (Alemanha, Argentina, Brasil, França e Uruguai), enquanto os outros três (Espanha, Inglaterra e Itália) soçobraram melancolicamente. 
…se houve mesmo, não foi tão nítida como a de Tyson em Holifield.
Como nenhum foi garfado, não têm do que reclamar, salvo do azar de haverem caído em chaves com rivais fortes e/ou calor excessivo. Mas, sem dúvida, a Copa ficaria bem mais atrativa com os três no lugar, p. ex., da Costa Rica, Grécia e Nigéria ou Irã (que decidem vaga do grupo F).

Nas outras partidas de hoje, a Costa Rica continuou apostando em retranca e contra-ataques, desta vez contra a Inglaterra, que mereceu vencer mas concluiu muito mal as boas oportunidades por ela criadas. Um 0x0 injusto. O jogo entre Costa Rica e Grécia leva jeito de que será o pior das oitavas.

Grécia que só despachou a Costa do Marfim, por 2×1, graças a um pênalti inventado pelo juiz equatoriano aos 47′ do 2º tempo. Seu forte são os chutes de média e longa distâncias.
E a Colômbia, mesmo poupando oito titulares, goleou o Japão por 4×1, igualando-se à Holanda como seleção com 100% de aproveitamento. A diferença é só ter enfrentado sparrings, não adversários de verdade. Contra o Uruguai veremos se ela é tudo isso. 
Não descarto a possibilidade de que seja e desta vez se consagre. Mas, o meu palpite é de que acabará atropelada pelos guerreiros que, com corazón, garra y sangre charrúa, conseguiram sobreviver ao grupo da morte.
Anúncios

7 comentários

  1. Celso,

    O que você não sabe é que este Suárez é um racista de m…..não merece nenhum respeito como ser humano. Pode ser um bom jogador, mas jamais será um grande ser humano+grande jogador como Sócrates, Cruiff, Zico, etc….foram várias acusações de jogadores negros contra ela em campeonatos europeus.

    Curtir

  2. Desconhecia mesmo este detalhe, Ismar. Mas, esse lance das mordidas (a de ontem pode até ter sido uma simulação do italiano, mas as anteriores, não) já traçam um perfil de um sujeito ruim de cabeça.

    Você já teve vontade de morder um inimigo? Bizarro, não? Há alguns que eu gostaria de encher a cara de porradas, mas morder, não. É coisa de psicopata.

    Curtir

  3. tem um blog chamado”guerreiro do entardecer”(um bom blog por sinal),mas dessa vez pisou na bola. se contaminou pela vitória enganosa em cima de um time rachado feito camarões! o Chile não é Camarões! estão se iludindo com esse time do Brasil. cuidado.que do jeito que vai,Sábado será o”mineirazo”! e não duvido disso. até os”ferrenhos”da ESPN aderiram a”onda” do me engana que eu gosto!

    Curtir

  4. Prezados, sugiram que leiam este ponto-de-vista diferente sobre a mordida: http://blogdobirner.virgula.uol.com.br/2014/06/25/o-pecador-suarez-e-os-grandes-pecados-dos-puros/

    Acredito que esteja havendo muito radicalismo de parte a parte e concordo plenamente que um coice capaz de quebrar a perna do adversário é muito pior do que a mordidinha do Suárez. O chorão italiano não mostrou uma gota de sangue derramada sequer.

    Não tenho elementos para julgar esta outra questão, mas o Birner sustenta que as acusações de racismo também são exageradas.

    Podem ser. Afinal, jogadores “fora de padrão”, como o Suárez, despertam muito preconceito nos devotos da infalibilidade do sistema. Daí à campanha de desqualificação é um passo.

    Quanto ao Brasil, o velho e bom Tostão opina que poderá vencer lançando bolas altas em cima dos zagueiros baixos do Chile.

    Meu palpite é o de que, marcando primeiro, o Brasil vai passar facilmente. Se o Chile abrir o placar, contudo, nossa seleçãozinha sem líder poderá perder a cabeça.

    Abs. p/ ambos

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s