SOBRE TEMPLOS, VENDILHÕES E IDOLATRAS DE OCASIÃO

“Quando Moisés aproximou-se do acampamento, no sopé da montanha, e viu aquela estátua em forma de bezerro e as danças, irou-se profundamente e espatifou as tábuas de pedra no chão. Dirigiu-se à figura do bezerro que o povo havia confeccionado e destruiu-a no fogo. Em seguida, triturou-a até reduzi-la a pó miúdo, que espalhou na água, a qual fez todos os filhos de Israel beberem.” 
(Êxodo 32:19)
“E estava próxima a páscoa dos judeus, e Jesus subiu a Jerusalém. E achou no templo os que vendiam bois, e ovelhas, e pombos, e mesas dos trocadores de moedas. E tendo feito um chicote de cordas, lançou todos fora do templo, também os bois e ovelhas; e espalhou pelo chão o dinheiro dos trocadores, e derrubou as mesas. E disse aos que vendiam pombos: ‘Tirai daqui estes, e não façais da casa de meu Pai casa de negociantes’.” 
(João 2:13-16)
Já lá se vão sete anos e sete meses desde que inaugurei meu primeiro blogue. Durante todo este tempo, jamais reproduzi editorial da Folha de S. Paulo, por conta da enorme diferença que nos separa em termos de visão de mundo e de critérios jornalísticos. Mas, o desta 2ª feira (4), intitulado De joelhos, não só tem minha total concordância, como está bem escrito. Não sendo sectário nem inflexível, eu o oferecerei à avaliação dos meus leitores.
Refere-se ao comportamento deplorável dos nossos políticos, principalmente os originários da esquerda, que não tiveram pejo de perfilarem com o autoproclamado pastor da Igreja Universal, na inauguração do megatemplo da dita cuja.

Não sei o que me causou mais mal estar: ver a foto de Dilma Rousseff e Gilberto Carvalho ao lado de tão duvidoso personagem ou ler o auê louvaminhas de Elio Gaspari, segundo quem “o templo de Salomão é um monumento à fé” e “haverá de se tornar um símbolo da cidade e da fé dos brasileiros”.
Lembrando que Macedo esteve preso em 1992 sob as acusações de charlatanismo, estelionato e curandeirismo, enquanto a IURD é useira e vezeira na prática da intolerância e perseguição religiosa (tanto que seus seguidores chutam santas e vandalizam as humildes instalações dos cultos afro-brasileiros), o mínimo que se esperava era um pundonoroso distanciamento das altas autoridades, em relação a ele e às suas ostentações faraônicas (que nada, absolutamente nada, têm a ver com o verdadeiro espírito cristão!).
Para quem não respeita limite nenhum na caça ao voto também há uma citação bíblica apropriada: “Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma?” (Mateus 16:26)
DE JOELHOS

Uma procissão de autoridades, liderada pela presidente da República, pelo governador paulista e pelo prefeito da cidade de São Paulo, dirigiu-se, na última quinta-feira, ao bairro paulistano do Brás para prestigiar a cerimônia inaugural do Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus.

Com proporções bíblicas, a obra tem 74 mil metros quadrados de área construída e foi erguida a um custo de R$ 680 milhões, segundo a igreja. O complexo, revestido com pedras importadas de Israel, conta, entre outras facilidades, com estúdios de rádio e televisão, além de heliponto.
O megatemplo simboliza, com sua ostentação, o ponto a que chegou a carreira de Edir Macedo, pastor neopentecostal, banqueiro e empresário do ramo de comunicações, que lançou a pedra fundamental de sua igreja no ano de 1977, num modesto prédio da zona norte do Rio de Janeiro.

Macedo é hoje um dos homens mais influentes e ricos do país. Beneficiado pela isenção de impostos que a Constituição assegura a templos de qualquer culto, construiu em torno da Universal um conglomerado de empresas. Sua fortuna pessoal chegava a R$ 2 bilhões em 2012, segundo a revista “Forbes”.

Os negócios e o prestígio do bispo assentam-se sobre um conhecido tripé: igreja (com cerca de 2 milhões de fiéis), telecomunicações e atuação política. Nomes ligados à Universal têm obtido algum êxito eleitoral nos diversos níveis de governo e ocupam postos relevantes no Partido Republicano Brasileiro (PRB), fundado pelo ex-vice presidente José Alencar.
As atividades de Macedo têm sido alvo de investigações e processos judiciais, aos quais responde nos foros apropriados. No caso do Templo de Salomão, sabe-se que foi construído com um inadequado alvará de reforma, concedido em 2008 pelo setor de aprovações da Secretaria Municipal de Habitação, então a cargo de Hussein Aref Saab, afastado em 2012 sob suspeita de enriquecimento ilícito.
Por suas características, a edificação deveria ter sido enquadrada como polo gerador de trânsito, o que exigiria outro tipo de autorização e contrapartidas urbanísticas. Por fim, foi inaugurada com alvará provisório emitido pela prefeitura.
Ao fazê-lo, Fernando Haddad (PT) repetiu iniciativa de seu antecessor, Gilberto Kassab (PSD), que forneceu documento análogo em favor do templo católico Mãe de Deus, do padre Marcelo Rossi –em matéria de adulação a igrejas, o poder público é ecumênico.
Oficialmente laico, o Estado brasileiro ainda mantém, na prática, relações no mínimo ambíguas e questionáveis com instituições religiosas –certamente menos por temor a Deus do que pelos seculares interesses eleitorais dos políticos. (editorial de  04/08/2014 da Folha de S. Paulo)



Anúncios

1 comentário

  1. coerente é o silas Malafaia que vive no You Tube pregando aos seus ” cristãos”..(no inicio eles eram crentes, depois queimou e viraram evangelicos depois queimou tb e viraram cristãos) que cristão nao pode votar em comunistas por conta das coisas que um certo “Max” andou falando que religião é o opio do povo e coisa e tal…é divertido

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s